sexta-feira, 1 de abril de 2011

Morreu, virou santo

O Brasil todo lamentou a morte de José Alencar. Sua luta contra o câncer marcou sua vida.
Porém... Sempre tem um porém!
Alencar foi empresário do ramo têxtil, todos sabem disso. O que poucos sabem é que ele ergueu as empresas dele sempre se apoiando em benefícios fiscais e dinheiro público, mesmo antes de entrar na política. Duvida? Está tudo na Folha de Londrina do dia seguinte ao de sua morte.
Ah, Emerson, todo empresário brasileiro deveria fazer isso, pois os incentivos estão lá pra isso mesmo... Concordo! Mas não é somente apenas isto (como diziam as propagandas das Organizações Tabajara).
Recentemente, o Exército Brasileiro fez uma licitação para a compra de tecido camuflado, para confeccionar seus uniformes. No Brasil, apenas duas empresas produzem aquele tecido, ambas de Brusque-SC. Entretanto, quem venceu a licitação foi a Coteminas, de propriedade do Sr. José Alencar (dirigida por um de seus filhos). Como ela não produz aquele tipo de tecido, adivinhem o que aconteceu? Para entregar a mercadoria, ela adquiriu o tecido de fábricas da China!
O então Sr. Vice-Presidente, ao invés de valorizar a produção nacional, só pensou nos lucros de sua própria empresa, gerando mão-de-obra e tributos na CHINA! Este é o amor que ele devotava ao povo brasileiro...